Nossa Sra. de Fátima

Nossa Sra. de Fátima
NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Primeira reunião da Paróquia Nossa Senhora de Fátima com o Padre Misael.

Membros de algumas comunidades
que fazem parte da Paróquia Nossa
Senhora de Fátima.

Misericórdia


Jornada Juvenil Madre Gaetana Sterni - 2015

Jovens de muitos Estados do Brasil
participaram da Jornada Juvenil
com muita alegria e amor
a Deus!!!





Irmãs e grupo da fraternidade

Irmã Gisele Rocha
e família

Igreja Matriz
Nossa Senhora das Dores
Fartura

Jovens da Bahia

2016 - ANO DA MISERICÓRDIA

O Papa anuncia a celebração de um Ano Santo especial

O Jubileu da Misericórdia começará com a abertura da Porta Santa na Basílica Vaticana durante a próxima Solenidade da Imaculada Conceição e terminará no dia 20 de novembro de 2016
ROMA, 13 de Março de 2015 (Zenit.org) - O Papa Francisco anunciou nesta sexta-feira, 13 de março de 2015, na Basílica de São Pedro, a celebração de um Ano Santo especial. Este jubileu da Misericórdia começará nesse ano com a abertura da Porta Santa na Basílica Vaticana durante a solenidade da Imaculada Conceição, 8 de dezembro, e terminará no dia 20 de novembro de 2016 com a solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. O Santo Padre, no começo do ano, exclamou: “estamos vivendo o tempo da misericórdia. Este é o tempo da misericórdia. Existe tanta necessidade de misericórdia, e é importante que os fieis leigos a vivam e a levem aos diferentes ambientes sociais. Adiante!”
O anúncio foi feito coincidindo com o segundo aniversário da eleição do Papa Francisco, durante a homilia da celebração penitencial com a qual o Santo Padre deu início às 24 horas para o Senhor, iniciativa proposta pelo Pontifício Conselho para a promoção da Nova Evangelização com a finalidade de promover em todo o mundo a abertura extraordinária das igrejas e favorecer a celebração do sacramento da Reconciliação. O tema deste ano foi tomado da carta de São Paulo aos Efésios: “Deus rico em misericórdia” (Ef 2,4).
A abertura do próximo Jubileu tem um significado especial já que acontecerá no quinquagésimo aniversário do encerramento do Concílio Vaticano II, que ocorreu em 1965. Será, portanto, um impulso para que a Igreja continue o trabalho iniciado com o Concílio Vaticano II, informou o Departamento de Imprensa da Santa Sé em um comunicado.
Durante o Jubileu as leituras para os domingos do Tempo Comum serão tomadas do Evangelho de Lucas, conhecido como "o evangelista da misericórdia". Dante Alighieri o definia "scriba mansuetudinis Christi", "narrador da mansidão de Cristo". São bem conhecidas as parábolas da misericórdia presentes neste Evangelho: a ovelha perdida, a moeda perdida, o pai misericordioso.
A proclamação oficial e solene do Ano Santo acontecerá com a leitura e publicação na Porta Santa da Bula, no Domingo da Divina Misericórdia, festa instituída por São João Paulo II que se celebra no domingo seguinte à Páscoa.
Antigamente, para os hebreus o jubileu era um ano declarado santo, que acontecia a cada 50 anos, e durante o qual deveria fazer-se a restituição por igual a todos os filhos de Israel, oferecendo novas possibilidades às famílias que tinham perdido as suas propriedades e até mesmo a liberdade pessoal. Aos ricos, pelo contrário, o ano jubilar lhes recordava que chegaria o tempo em que os escravos israelitas, novamente iguais a eles, poderiam reivindicar seus direitos. “A justiça, segundo a lei de Israel, consistia especialmente na proteção dos fracos (São João Paulo II, Carta Apostólica Tertio Millennio adveniente 13).
A Igreja Católica começou a tradição do Ano Santo com o Papa Bonifácio VIII em 1300. O pontífice previu a realização de um jubileu casa século. Desde 1475 - para permitir que cada geração vivesse pelo menos um Ano Santo – o jubileu ordinário começou a ser entre 25 anos. Um jubileu extraordinário, no entanto, é proclamado por ocasião de um acontecimento de particular importância.
Os Anos Santos Ordinários celebrados até hoje foram 26. O último foi o Jubileu do ano 2000. O hábito de proclamar Anos Santos extraordinários remonta ao século XVI. Os últimos deles, celebrados no século passado foram o de 1933, proclamado por Pio XI, por ocasião do XIX centenário da Redenção, e 1983, proclamado por João Paulo II pelos 1950 anos de Redenção.
A Igreja Católica tem dado ao Jubileu hebraico um significado mais espiritual. Consiste em um perdão geral, uma indulgência aberta a todos, e na possibilidade de renovar a relação com Deus e com o próximo. Dessa forma, o Ano Santo é sempre uma oportunidade para aprofundar a fé e viver com um compromisso renovado o testemunho cristão.
Com o Jubileu da Misericórdia, o Papa Francisco coloca no centro das atenções o Deus misericordioso, que convida todos a voltar-se a Ele. O encontro com Ele inspira a virtude da misericórdia.
O rito inicial do Jubileu é a abertura da Porta Santa. Trata-se de uma porta que se abre apenas durante o Ano Santo, enquanto nos outros anos permanece selada. Têm uma Porta Santa as quatro basílicas maiores de Roma: São Pedro, São João de Latrão, São Paulo fora dos Muros e Santa Maria Maior. O rito de abertura expressa simbolicamente o conceito de que, durante o tempo jubilar, se oferece aos fiéis um “caminho extraordinário” para a salvação.
Após a abertura da Porta Santa na Basílica de São Pedro, serão abertas sucessivamente as portas das outras basílicas maiores.
A misericórdia é um tema muito sentido pelo papa Francisco que já como bispo tinha escolhido como lema próprio "miserando atque eligendo". Esta é uma citação das homilias de São Beda, o Venerável, que, comentando o episódio evangélico da vocação de São Mateus, escreve: "vidit ergo Iesus publicanum et quia miserando atque eligendo vidit, ait illi Sequere me" (Viu Jesus um publicano, e como olhou para ele com um sentimento de amor e lhe disse: Segue-me). Esta homilia é uma homenagem à misericórdia divina. Uma tradução do lema poderia ser: “com os olhos da misericórdia”.
No primeiro Angelus após sua eleição, o Santo Padre dizia que: “Ao escutar misericórdia, esta palavra muda tudo. É o melhor que podemos escutar: muda o mundo. Um pouco de misericórdia faz o mundo menos frio e mais justo. Precisamos compreender bem esta misericórdia de Deus, este Pai misericordioso que tem tanta paciência” (Angelus, 17 de março de 2013).
Também este ano, no Angelus de 11 de janeiro, disse: "Estamos vivendo no tempo da misericórdia. Este é o tempo da misericórdia. Há tanta necessidade hoje de misericórdia, e é importante que os fiéis leigos a vivam e a levem aos diversos ambientes sociais. Adiante!” E na mensagem para a quaresma de 2015, o Santo Padre escreve: “Quanto desejo que os lugares onde a Igreja se manifesta, em especial as nossas paróquias e nossas comunidades, cheguem a ser ilhas de misericórdia em meio do mar da indiferença”.
O papa Francisco confiou ao Pontifício Conselho para a promoção da Nova Evangelização a organização do Jubileu da Misericórdia. Fonte: http://www.leigos.pt/

A criação do mundo

Segue algumas ideias de desenhos sobre a Criação para colorir.



Não me recordo a fonte.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Ficha de inscrição para os catequizandos!

Foto

Encontro Diocesano de Catequistas em Santa Cruz do Rio Pardo-SP

A Coordenação da Catequese das Paróquias Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora das Dores, agradece aos catequistas que doaram esse domingo para o Encontro Diocesano da Catequese em Santa Cruz do Rio Pardo, que Deus os abençoe! 

Encontro de Catequese sobre Maria, nossa mãezinha

Foto: Encontro de Catequese sobre Maria, nossa mãezinha

Objetivo:

Levar a criança à descoberta de como a mãe de Jesus é boa e do quanto ela quer cuidar da gente também.

Acolhida:

Promover a integração a partir do canto:
Refrão: " Maria da Paz, da paz, da paz, ela anda pra frente ela anda pra traz. (bis)
1 - Ela pula de um lado... Ela pula do outro. (bis)
Refrão.
2 - Ela reza de um lado... ela reza do outro. (bis)
Refrão.
3 - Ela abraça de um lado... ela abraça do outro. (bis)
Refrão.
(Se não conhecem esta música clique aqui e veja o vídeo)

Logo após a música, todos rezam uma Ave Maria.

A Chave do encontro:

Fazer um lindo cartaz com a pergunta: Vamos saber como Maria cuidava de Jesus?
(Colocar os catequizandos para participar nesse momento).
"No encontro que realizei, tive catequizandos que comparam a maneira como Maria cuidava de Jesus com sua própria mãe. Muitos disseram que Maria trocava as fraldas, dava de mamar, dava carinho, amor, cuidava quando estava doente."

Palavra:
Proclamar Lc 2.6-7, adaptando as palavras mais difíceis. Utilizar a imagem do Menino Jesus, a manta e a cesta para tornar mais real a leitura da passagem. Ressaltar como Maria, a Mãe de Jesus, cuidava dele com muito amor, quando ele era pequenino, e que assim também cuida de nós.

Momento de Oração: 
Colocar as crianças de joelhos e mãozinhas postas diante da imagem. Convidar uma criança de cada vez para que também faça seu carinho em Jesus, como sua mãezinha também fez. Ensiná-las a repetir a seguinte oração: "Obrigado (a), Jesus, por que Maria é minha Mãe também."

Atividade Prática:
Com papel e lápis de cor, cada catequizando desenha a si e sua família, e o que mais gostaria que a mamãe de Jesus, que também é nossa mãe, tomasse conta.
"Após o desenho, pedi que quem quisesse dizer qual membro da família circulou e por que, poderia ficar a vontade. Alguns se intimidaram (respeitei a atitude daqueles que não quiseram expor), alguns catequizandos demonstraram maturidade, pois circularam o papai devido a profissão ser caminhoneiro e as estradas serem perigosas, outros circularam aqueles que bebia bebidas alcoólicas, entre outros motivos. O bom da dinâmica é que assim, podemos conhecer mais um pouquinho da vida de cada catequizando e orientá-los que toda graça a ser recebida vem de muita oração, fé, e perseverança."
Apresentar a imagem de Maria. Comentar que o amor e o carinho de Maria quer chegar até nós e nossas casas. Cada criança é chamada a pegar dentro do coração de Maria um coraçãozinho de barbante. Dobrar e colocar seu desenho dentro do coraçãozinho e colocá-lo no seu pescoço.
Nossa coordenadora da catequese disse que sua sobrinha ficou o dia inteiro com o coraçãozinho de barbante no pescoço, e onde ia e as pessoas perguntassem o que significava, a catequizanda explicava com detalhes o que tinha aprendido no encontro. Sabe o que me deixa feliz? É que semeamos as sementes e elas saem pelo mundo a fora dando bons frutos."

Usei esta imagem de Nossa Senhora. O coração grande em forma de envelope, com barbante, onde estarão guardados os corações pequenos para as crianças colocarem seus desenhos da família.
http://catequesecomcriancas.blogspot.com.br/

Encontro de Catequese sobre Maria, nossa mãezinha

Objetivo:
Levar a criança à descoberta de como a mãe de Jesus é boa e do quanto ela quer cuidar da gente também.

Acolhida:

Promover a integração a partir do canto:
Refrão: " Maria da Paz, da paz, da paz, ela anda pra frente ela anda pra traz. (bis)
1 - Ela pula de um lado... Ela pula do outro. (bis)
Refrão.
2 - Ela reza de um lado... ela reza do outro. (bis)
Refrão.
3 - Ela abraça de um lado... ela abraça do outro. (bis)
Refrão.


Todos rezam uma Ave Maria.

A Chave do encontro:

Fazer um lindo cartaz com a pergunta:
Vamos saber como Maria cuidava de Jesus?
(Colocar os catequizandos para participar nesse momento).
"No encontro que realizei, tive catequizandos que comparam a maneira como Maria cuidava de Jesus com sua própria mãe. Muitos disseram que Maria trocava as fraldas, dava de mamar, dava carinho, amor, cuidava quando estava doente."

Palavra:
Proclamar Lc 2.6-7, adaptando as palavras mais difíceis. Utilizar a imagem do Menino Jesus, a manta e a cesta para tornar mais real a leitura da passagem. Ressaltar como Maria, a Mãe de Jesus, cuidava dele com muito amor, quando ele era pequenino, e que assim também cuida de nós.

Momento de Oração: 
Colocar as crianças de joelhos e mãozinhas postas diante da imagem. Convidar uma criança de cada vez para que também faça seu carinho em Jesus, como sua mãezinha também fez. Ensiná-las a repetir a seguinte oração: "Obrigado (a), Jesus, por que Maria é minha Mãe também."

Atividade Prática:
Com papel e lápis de cor, cada catequizando desenha a si e sua família, e o que mais gostaria que a mamãe de Jesus, que também é nossa mãe, tomasse conta.
"Após o desenho, pedi que quem quisesse dizer qual membro da família circulou e por que, poderia ficar a vontade. Alguns se intimidaram (respeitei a atitude daqueles que não quiseram expor), alguns catequizandos demonstraram maturidade, pois circularam o papai devido a profissão ser caminhoneiro e as estradas serem perigosas, outros circularam aqueles que bebia bebidas alcoólicas, entre outros motivos. O bom da dinâmica é que assim, podemos conhecer mais um pouquinho da vida de cada catequizando e orientá-los que toda graça a ser recebida vem de muita oração, fé, e perseverança."
Apresentar a imagem de Maria. Comentar que o amor e o carinho de Maria quer chegar até nós e nossas casas. Cada criança é chamada a pegar dentro do coração de Maria um coraçãozinho de barbante. Dobrar e colocar seu desenho dentro do coraçãozinho e colocá-lo no seu pescoço.
Nossa coordenadora da catequese disse que sua sobrinha ficou o dia inteiro com o coraçãozinho de barbante no pescoço, e onde ia e as pessoas perguntassem o que significava, a catequizanda explicava com detalhes o que tinha aprendido no encontro. Sabe o que me deixa feliz? É que semeamos as sementes e elas saem pelo mundo a fora dando bons frutos."

Usei esta imagem de Nossa Senhora. O coração grande em forma de envelope, com barbante, onde estarão guardados os corações pequenos para as crianças colocarem seus desenhos da família.
http://catequesecomcriancas.blogspot.com.br/